Terça-feira, 27 de Março de 2012

Vida...

Grito palavras ao vento

Sem noção da força com que as lanço

Mas numa mudança inesperada

De correntes que se cruzam

E atravessam no ar que respiro

Recebo-as de volta

 

Intensas demais

Derrubam-me no chão

E deixam-me sem força

Quase me sufocam

 

Só quero viver…

Só quero ser feliz…

Só quero amar sem barreiras…

Quero ser livre

Quero poder deixar transbordar

Tudo o que o meu coração me diz e sente

A cada vez que se enche e esvazia

 

Não quero amarrar nada dentro de mim

Não quero encher-me de nós

Que não me deixam ser eu própria

Eu sou assim!

Vivo tudo com intensidade máxima

Dou tudo de mim

Entrego-me

Como se não houvesse amanhã…

 

Vida é isso mesmo…

É vida…

E às vezes estamos nela mas deixamo-la passar

Assistindo apenas ao seu desfile

Sentados… na primeira fila… mas sentados…

Eu não quero ser espectadora da minha vida

Eu quero estar no palco

E quero estar no palco contigo…

publicado por SRock às 01:49
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|
Domingo, 18 de Março de 2012

O teu olhar...

O meu olhar chocou com o teu

Foi um embate forte

Que causou estragos graves

E agitou o meu mundo

 

A dança do tempo parou

Apenas por breves instantes

E parou também a minha respiração

Que já não inspirava o ar

Que de repente se tornou denso

 

As vozes em redor ficaram mudas

E os passos silenciosos

Para não quebrarem a fina camada

De luz que nos uniu nesse breve segundo

 

Consegui apenas ver a minha imagem

Que se reflectia naquele ponto preto

E que me atravessava de um lado a outro

Sem pedir licença para passar

 

Tudo o resto estava distorcido

Tudo o resto eram apenas fragmentos

Desfeitos e sem cor

De imagens com que não tinha sonhado

 

Fiquei presa nesse teu olhar

Como se uma teia me tivesse envolvido

Como se uma névoa tivesse descido sobre mim

E não me deixasse ver mais nada

 

Foi apenas um segundo

Que vai durar o tempo duma vida

Pelo menos enquanto os meus sentidos

Não forem desgastados

Enquanto eu conseguir rasgar com um sopro

A distância que nos separa

publicado por SRock às 12:19
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|
Sábado, 17 de Março de 2012

Anda...

Acordei... devagar...

Mas não abri os olhos

Não queria viajar para fora do sonho

E sentir-me de novo

Como única protagonista

Dum conto que era dos dois

 

A minha pele tatuada com o teu cheiro

Estremecia a cada memória

Ainda sentia o teu colo

Debaixo do meu rosto

Com toque a lençol de cetim

E os meus pés ainda quentes

Por se terem enrolado nos teus

 

A minha boca

Guardava o sabor de um beijo

E os meus ouvidos

As tuas palavras meigas

Em sussurros que ainda ecoavam

Como um embalo de mar

Numa manhã de Primavera

 

Anda...

Fica em mim...

Anda...

 

Tu chamaste-me e eu fui

Despejei de mim

Tudo o que julgava como certo

E deitei fora todas as pedras

Que afinal podia atirar para longe

 

Fiquei leve e voei até ti

Num vôo suave

De quem se desprende do chão

E pousei no teu abraço

 

Anda...

Fica em mim...

Anda...

 

Quem te disse que o mundo

Vai pesar sobre as nossas costas?

Porque me disseste isso?

Nunca soube...

 

Mas não me interessa o mundo

Mas tu...

E tu és quem me faz correr

E quem me faz acreditar

Que depois da nuvem mais negra se afastar

Há um sol que brilha

E tu dás-me esse calor

 

Anda...

Não te escondas

Juntos trilharemos chão de alcatrão

E de terra batida

Juntos descobriremos

Cada canto que as nossas almas gritam

E numa noite de Verão

Ao olharmos o céu

Saberemos que somos apenas

Pó da mesma estrela

 

Anda...

publicado por SRock às 14:26
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|
Segunda-feira, 12 de Março de 2012

A minha tela...

Não, não foi para mim que a pintei

Não era essa a minha intenção

Apenas peguei nos pincéis e nas tintas

E deixei que as minhas mãos

Fossem guiadas pelo teu toque invisível

 

À medida que as cores

Se misturavam em tons

Que olhava pela primeira vez

Era o cheiro das tuas emoções

Que delas se desprendiam

 

Em cada traço que riscava

Sem que para isso precisasse de abrir os olhos

Era a tua voz que ouvia

Em gargalhadas que ecoavam ao meu redor

 

E as tintas escorriam

Desenhando o teu sorriso rasgado

A profundeza do teu olhar

A forma do teu coração feito de chocolate

 

Mas não ta consegui dar...

Em cada pedaço de tela

Transportei-te numa viagem só minha

Que não te vou contar

É minha... Pelo menos com ela eu tenho que ficar

 

E quando tu não estás

E contigo quero estar

Sento-me em frente a ela

Contemplo-a e contigo posso sonhar

publicado por SRock às 21:40
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|
Segunda-feira, 5 de Março de 2012

Eu não me importei...

Caía sobre a cidade

Lentamente...

Ignorando o sol que antes radiava

 

Cobrindo cada prédio...

Cada avenida...

Cada estrada...

 

Descia e não se importava

Se horas depois

Se dissipava  e ficava

Esquecida das memórias

Que agora testemunhavam a sua dança

 

A neblina não se importou

E espalhou o seu cinzento

Escondendo a paisagem

Que momentos antes resplandecia

 

Eu também não me importei

Eu também deixei a minha marca

Mesmo sabendo que estava apenas de passagem

Que a seguir a eu partir

Viria outro alguém e mudaria tudo o que fizesse

 

Eu também não me importei

Se depois se iam esquecer de mim

Se me iam apagar com uma esponja

E fazer de conta que nunca por ali passei

 

Eu não me importei

E gritei quando tive que gritar

Ri quando tive que rir

Chorei quando perdi o chão da minha alma

 

E apanhei, uma a uma

Todas as folhas secas do Outono

E devolvi ao mar

Cada concha que encontrei na praia

 

E não me importei se mais folhas

Serviriam de manto ao chão

Se mais conchas iriam cobrir

Os grãos de areia que deixei despidos...

publicado por SRock às 19:54
link do post | comentar | favorito
|
Domingo, 4 de Março de 2012

Espera!

Espera! Espera!

Não vás assim!

Não me deixes apenas o teu rasto...

Dá-me nas minhas mãos a tua essência...

 

Espera!

Não vês que quando te arrastas para longe

Levas contigo a minha aura

E apagas-lhe a luz?

 

Procurei-te toda a noite

Segui o cheiro que te enche os poros

Perguntei a cada onda

Pelas tua pegada apagada da areia...

 

Apanhei algumas pétalas

Que se soltaram do teu cabelo

E que o vento me entregou

Na esperança que te encontrasse

 

Deixa-me despir-te

Do medo que carregas

Deixa-me pegar-te ao colo

E banhar-te de paz e calor

 

Envolve-me no teu mundo

Partilha comigo cada segredo

Despeja cada desejo em mim

Faz-me sentir parte de ti...

 

Espera...

Fica...

Só mais um momento...

Só mais um segundo que dure para sempre...

publicado por SRock às 21:15
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Abril 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
25
26
27
28
29
30

.posts recentes

. Luta de silêncios

. ...

. Fugiste daqui

. Não sei quem quero ser…

. Por tudo...

. O que sinto…

. Mesmo antes de acordar

. Caminho...

. Um desejo de Natal

. Sonhos…

.arquivos

. Abril 2015

. Março 2014

. Abril 2013

. Março 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

blogs SAPO

.subscrever feeds