Terça-feira, 2 de Abril de 2013

Fugiste daqui

Quando cheguei apenas o vazio

Nem o eco da tua voz

Nem o cheiro

Nem as sombras de nós

 

O som dos teus passos

Ainda se respirava no ar

O gesto dos teus olhos

Onde me queria aninhar

 

Fugiste daqui

E eu fiquei imóvel

Deitada no chão

 

Contei os nós da madeira

Do soalho que pisámos

E num sonho dei-te a mão

 

Escondi-me de mim

Por entre folhas soltas

E notas de música

Com letras revoltas

 

Rasguei-me da roupa

Que me prendia e sufocava

Dei um grito mudo

No silêncio que me inundava

 

Fugiste daqui

E eu fiquei imóvel

Deitada no chão

 

Contei os nós da madeira

Do soalho que pisámos

E num sonho dei-te a mão

publicado por SRock às 03:22
link do post | comentar | favorito

Não sei quem quero ser…

Não sei se te quero

Muito, pouco ou nada

Por vezes desespero

Sinto-me amarrada

 

Presa ao que não tenho

Livre no que posso ser

Fecho o rosto num acanho

Calo a voz para me esconder

 

Não sei quem quero ser

Se adormeça despida de ti

Se me deva nos teus braços envolver

Se cante o teu nome que não esqueci

 

Não sei quem quero ser

A musa de quem te escondes

A deusa que te quer ter

Se atravesse tantas e tantas pontes

Para depois te perder

 

Segues em frente…

Nunca hesitas no teu caminho

E quando a tua pele perde o quente

Vens aquecer-te no meu carinho

 

E eu continuo aqui

Sem saber quem quero ser

E perco tempo a olhar para ti

E o dia está a amanhecer  

 

Não sei quem quero ser

Se adormeça despida de ti

Se me deva nos teus braços envolver

Se cante o teu nome que não esqueci

 

Não sei quem quero ser

A musa de quem te escondes

A deusa que te quer ter

Se atravesse tantas e tantas pontes

Para depois te perder

 

publicado por SRock às 01:16
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Segunda-feira, 1 de Abril de 2013

Por tudo...

Por tudo o que foi dito

Por tudo o que ficou no silêncio dos nossos lábios

Por todo o amor que te dei e recebi

Por toda a paixão que nos envolveu e devorou

Por tudo o que fica por fazer

Por cada passo que falta dar

Por toda a dedicação com que me entreguei

Por todos os momentos de carinho que partilhámos

Por todas as promessas por cumprir

Pelo orgulho que te cala os sentidos

Pelo egoísmo que te faz fingir que não sentes

Por cada sorriso que te arranquei

Por cada vez que ri e chorei contigo

Por cada vez que demos as mãos

Por cada raio de sol que acordou connosco

Por cada estrela que nos viu adormecer

Pela inocência que me fez acreditar

Pela inocência que te fez prometer

Pelo disfarce que te faz forte

Pela fraqueza escondida debaixo da tua firmeza

Pelo abraço que se sentiu sem se dar

Pelo beijo esperançado de um ‘até já’

Pelos poemas que te escrevi

Pelas músicas que nos ligaram

Pelo desejo…

Pela coragem…

Pela falta dela…

Por um caminho que fica por descobrir…

 

Por tudo… obrigada!

publicado por SRock às 01:25
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Abril 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
25
26
27
28
29
30

.posts recentes

. Luta de silêncios

. ...

. Fugiste daqui

. Não sei quem quero ser…

. Por tudo...

. O que sinto…

. Mesmo antes de acordar

. Caminho...

. Um desejo de Natal

. Sonhos…

.arquivos

. Abril 2015

. Março 2014

. Abril 2013

. Março 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

blogs SAPO

.subscrever feeds